segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Jóias Especiais

Olá Modernidade!
Eis que eu lindamente estava no facebook e por acaso descobri esse nome Airton Filipeli Designs, e já me encantei pelo trabalho, achei tão moderno, inovador e diferente, me saltou aos olhos (como alguns sabem sou apaixonado por anéis). Pensei nossa preciso entrar em contato com esse artista gênio, para divulgar esse belo trabalho para o mundo, pra quem é ligado em novidade e nos é fiel. E o artista que se chama Airton me atendeu com muita gentileza e cordialidade, sendo muito disposto a falar sobre seu trabalho, e temos um pouco de seu trabalho nas próprias palavras do artista.



No começo desse ano eu estava pensando no que eu poderia fazer de novo, algo que fosse novo pra mim, uma nova maneira de pensar. Sou artista visual de formação e tenho o desenho como ferramenta de apoio, não queria abrir mão desta ferramenta mas o resultado que ela me levava, pensava em esculturas na época.

Vi uma foto que clareou essa ideia, uma foto de um anel em madeira, já tinha visto vários anéis em madeira na vida e aquele não era diferente. O que aconteceu naquele instante foi uma ligação, entre o que eu pensava ser e aquilo que poderia ser! A maneira como  eu vi aquele anel era diferente: É isso pensei! não são as esculturas que faço que estão erradas, mas para aquilo que elas estão sendo feitas. Será só mudar a proporção? comecei no mesmo instante a desenhar vários anéis, isso aconteceu em Montreal no Canadá, queria voltar ao Brasil naquele instante, era aqui que eu queria começar a trabalhar com essas jóias em madeira.



Cheguei aqui com uma furadeira adaptada, comecei as primeiras peças, para mim o desenho é a base é quando estou pensando, criando, imaginando. Depois disso, é como se a peça estivesse pronta, a única coisa que será preciso é fazê-la. Neste momento estou diante da madeira, da matéria madeira, nasci dentro de uma marcenaria (mas isso é outra história), mas é verdade respiro madeira, mastigo madeira e acho que essa amor é recíproco. Porque eu me sinto bem ao lado dela!

Bem, por falar em amor é interessante se deixar envolver, se apaixonar sem medo, por que você acaba conhecendo o mistério do outro. Eis ai, essas peças carregam o segredo de entornar a madeira, fazer curvas com ela, se deixando ser encurvada, por puro prazer. É depois disso que ela seduz, não antes. É depois que a madeira se transformou, é onde se encontra toda sua beleza.




É evidente que quando desenho uma peça, penso exatamente naquele pedaço de madeira que está disponível no meu atelier, ela só está esperando para ser digerida. Acho mesmo que todo esse processo depende muito de como me envolvo com as coisas: Eu não gosto dos "mais ou menos" , do vulgar, vulgar no sentido de querer aquilo que todos querem, desse pensar coletivo. Gosto das exceções, dos diferentes.

Acredito que criar é um ato de liberdade, é o fenômeno que pode me distinguir, é o ato de criar que nos torna únicos, é claro que esse ato tem que ser desejado, e como todo desejo exige esforço.  Neste sentido, quando busco a forma de uma peça, quanto mais rara ela é, mais difícil de ser revelada, como num romance, e para isso levo a dedicação a concentração e o esforço tudo no limite. Meu Limite!  







E pra quem quiser conhecer mais:
https://www.facebook.com/pages/Airton-Filipeli-designs/429727620423107?fref=ts

Beijos
Marcelo


Um comentário:

  1. Marcelo , obrigado pelo espaço que esta dedicando ao meu trabalho . Estou lisonjeado .

    ResponderExcluir